sexta-feira, fevereiro 07, 2014

I hate to talk on the phone.

Eu ainda lembro quando cheguei em Vancouver para o intercâmbio. Pensando que sabia me virar, e que sabia pelo menos um pouco de inglês. 

Não, eu não sabia nada! Saber que 'azul' é 'blue', que 'hi' significa 'oi' não ajuda nem um pouquinho quando tenta-se estabelecer uma conversa.


E mesmo que qualquer tentativa de falar inglês me deixasse com muito medo, nada comparava-se com pavor, o pânico de escutar o telefone. 


Eu estudava meio periodo, e parte do dia eu passava na casa da minha 'host family', estudando, assistindo tv pra tentar inculcar o inglês um pouco. E aí um dia o telefone tocou. Eu fiquei naquela "atendo ou não atendo?". "Não, não atende". "Mas e se for minha host mãe precisando de algo?". "Ah, vai, tenta".


E foi a primeira e última vez num período de uns 2 meses. Eu não entendi uma palavra. E a pessoa do outro lado da linha também não colaborava e insistia em não perceber todos os gestos e expressões que eu estava fazendo no meu lado da linha. E a ficha caiu. Não adianta, não tem como. Nunca vou conseguir. Isso tudo é um fracasso. E por mais que eu ficasse até de madrugada memorizando verbos e substantivos, e por mais que conversas cara-a-cara melhorassem a cada dia, eu sempre passava longe to telefone. Tinha pavor!


Eu estava lembrando sobre isso hoje, porque estava pensando sobre o meu trabalho. Quando lembro daquela época, da angústia de tentar entender e ser entendida naquela conversa pelo telefone, eu suspiro. Ao mesmo tempo que ainda posso quase palpar aquela aflição, também respiro com ar de alívio porque quase não passo por isso. 50% do meu trabalho e comunicação é feito pelo telefone. Por americanos nativos que falam rápido e não têm tempo pra ficar explicando nada. E eu dou conta do trabalho. E o sentimento de realização é indisticrível, mesmo depois de tantos anos. Hoje em dia, para a minha alegria, eu não odeio falar no telefone. Virou parte do dia a dia.


Mas pra variar, nem tudo tem seu lado bom. O outro lado da moeda é que infelizmente eu estou começando a esquecer muitas palavras em português que eu jamais esqueceria antes. Só pra escrever esse texto, tive que procurar a tradução de 'accomplishment' pra encontrar 'realização'. Não conseguia pensar outra palavra para 'angústia', e novamente tive que ir no Google para poder encontrar 'aflição'. Tive que ir no Google umas 6 vezes. De doer.


São coisinhas assim que me irritam profundamente. Será que eu dia vou esquecer tudo? Não, sei que é bobagem e não vou. Mas a troca das línguas é mesmo interessante. Esse nosso cérebro é mesmo impressionante.  



7 comentários:

Anônimo disse...

Oi,
Que bom que você voltou a atualizar. Não deixe de atualizar maisnão rsrs.
Que seu 2014 seja muito abençoado.
Beijos.
Jana.

Nani disse...

hahaha Cyn, verdade!!Eu tb tinha pavor de falar no telefone em ingles. Lembro que a primeira vez que ligaram pra casa da minha host family e atendi eu pedi pra pessoa ligar de novo e deixar o recado na secretaria eletronica porque eu nao estava entendendo o que ela estava dizendo. Vergonha eu nao tinha neh, era cara de pau mesmo haha.
Minha host mother rui que se acabou quando contei pra ela.

Hoje em dia eu tenho mais confianca. Eu trabalho com interpretacao por telefone. No comeco tive medo de nao entender e acabar errando tudo ou passando mensagem errada, mas com a pratica tudo melhora. O negocio eh ter coragem pra comecar.

Saudades dos seus posts!!! Saudades de voce!
Beijinho

Viviane Leite disse...

Por favor preciso falar com vc me escreva para biovivis@gmail.com

mto obrigada

Viviane

Bruno Oliveira disse...

olá Cynthia! Sou estudante de engenharia de Produção na UTFPR sou paranaense...bom acabei chegando até você numa procura por pessoas que estejam no Texas pois estou precisando de uma ajudinha para encontrar Acomodação em casa de familia de preferencia! para um intercambio que estou planejando para o inicio do próximo ano ... Pretendo ficar 2 meses e meio em inglês intensivo na TCU ( Texas Christian University)... Gostaria de saber se você conhece alguem que que possa me ajudar nessa situação ou plo menos me passar alguns contatos para encontrar algo em Fort Worth o mais próximo possivel da TCU. Desde já agradeço! E aproveito pra dizer que seus posts são muito bons!! Parabens!!! Aguardo contato!!Abraço!!(brunoengenharia@outlook.com)

Marcelo Azambuja disse...

Olá Cyn,

muito legal o teu blog ;D

Seguinte, eu e minha esposa precisaremos passar 8 meses em Dallas, irei fazer pós-doc na Southern Methodist University (SMU). Estou procurando algum site com aluguéis de apartamentos/casas mobiliadas, que aceite por um prazo de 8 meses. Eu não estou encontrando, nem ao menos uma ideia do valor desses aluguéis, terias alguma dica? E alguma sugestão de locais melhores, que dê para usar transporte público até a SMU?

Qualquer dica será válida :D

Obrigado!
Marcelo.

Cyn por ai... disse...

Marcelo, me mande um email para cynzanon@hotmail.com Te mando algumas idéias.

Luz disse...

Hi my dear,

My goodness, you just explain exactly my situation now, but for me is in French.
Today my job is also by phone almost all the time, but at the beginning I was terrified every time the phone rang ... and today I need to translate from French to Spanish, lol.
I love to read your stories, but I haven't come to your blog since long time ago.
Miss you