domingo, julho 15, 2007

Ah, O amor! Parte 2

(post l.o.n.g.o...)

Alguns meses depois que cheguei aqui nos Estados Unidos, conhecí MUITA gente pela internet. Quer dizer, antes de chegar aqui também… mas dá pra escrever um livro se contar todos os alguns encontros que aconteceram, mas principalmente os muitos que “quase“ aconteceram. Fiz muitos amigos, mas nada que virasse um relacionamento sério. Talvez eu não estivesse preparada, ou realmente com vontade que alguma coisa desse certo.

Aí eu vim para os EUA. Uau….! Cada encontro parecia mil vezes melhor de todos que tive no Brasil. Acho que era porque no fundo no fundo, meu príncipe encantado tinha que ser estrangeiro, rs. T-o-d-a-s as pessoas diziam que eu iría para os EUA e que não voltaría mais. E eu dizía que todo mundo era louco. Mas…não gosto de cuspir pra cima porquê, sabe, um dia sempre cai na cara.

Bom, mas voltando ao assunto… entrei naquele site, que já contei aqui mil vezes (Lavalife), e comecei a conhecer gente. Tudo bem seguro, lugares públicos… um café aqui, uma cerveja alí. À princípio nada com pensamento de ‘namoro’, mas pra conhecer gente mesmo…afinal, no começo quase não tinha amizades ainda (vai lá no Lavalife e você pode escolher o tipo de relacionamento que está à procura - amizade, relacionameto, etc).

De novo, conhecí MUITA gente legal…até cheguei a namorar por um mês “um lá“… que no fim era o mesmo safado, sacana, sem muito futuro; daqueles que eu já tinha me deparado dezenas de vezes antes.

Mas…com os que valiam a pena, eu continuava com aquela história: “Esse não se veste bem”, Esse é muito baixinho”, “Ai, esse aqui não vou poder apresentar pra família“….Esse, não tenho nem desculpa, mas…sei lá”.

Não digo que estava errada, porque estar com alguém sem “química” nenhuma, também não dá! Mas caso contrário, não estava dando nenhuma chance pra qualquer relacionamento que tivesse algum futuro, só porque encontrava mil e um defeitos… No fim a pessoa tinha que ter todos os atributos da minha “listinha”de standards. E nisso, o tempo vai passando, a idade vai aumentando...

E vou te falar…. O que tem de homem aqui nos EUA… (ou pelo menos na região de DC onde morava), não está nos quadrinhos.

Até que um dia, um Sábado de noitinha, entro na internet. Tinha trabalhado o dia inteiro, estava chovendo, estava cansada e arrasada sem nada pra fazer. Começo a ver se tinha recebido algum ’smile’. Até que “ele” começa aquela conversa boba…”oi, tudo bem”etc, etc… Conversamos menos de 10 minutos. Perguntei se ele queria ir tomar uma cerveja. E foi aí que tudo começou…

Quando encontrei com o Brandon… houve vários “nãos“. Não gostei do jeito que ele andava. Ele apareceu usando uns óculos ridículos. Ele tinha uma costeleta e-n-o-r-m-e. Ele ía muito ao banheiro. Não se muito bem… quer dizer, na primeira vez, nem bem nem mal. Sabe assim…whatever.

Massss…. A conversa foi ótima. Ele me deixou muito, mas muito à vontade. Conversamos por mais de duas horas - mesmo que no fundo eu ficasse pensando se ele era fã do Elvis pra ter uma costeleta daquele tamanho ou o quê…e outras coisinhas mais. Pra variar, pensava mais nos negativos do que os positivos, Coisa de mulher? Talvez, deve ser…

Fui pra casa. Achei que não ía dar em nada. No Domingo ele me ligou. E nada aconteceu, nem uma aceleradinha no coração. Nem um alívio que a ligação veio. Nada. Sabe assim…: “Tô nem aí, tô nem aí…”

Mas na segunda-feira nos encontramos de novo. O lado positivo dele é que não era insistente. Não queria “ou tudo ou nada”. Apenas me encontrar já estava de bom tamanho, pelo menos pra começar. Isso me cativou.

Foi aí que resolví conhecer a casa dele… e foi também aí que essa nossa história quase não aconteceu.

Ele morava sozinho. Com um cachorro (pois é, o Logan). Quando entrei na casa, desespero total!

Quase não tenho palavras pra descrever… nojento, nojento, n-o-j-e-n-t-o!!!! Tudo, tudo que você possa imaginar! Tinha cocô de cachorro na sala. Maldita a hora que entrei na cozinha… pratos e copos que deviam estar na pia por semanas…com mofo, cheirando. Lixo que também devia estar lá por muito tempo. O quarto, ai. Não gosto nem de lembrar… roupas espalhadas no chão, perto de onde o cachorro fez xixi (na beira da cama). O banheiro…. bom,..indescritível. Passo mal só de lembrar, sinceramente...

Quase morri. Não queria ficar, Não queria alguém tão nojento assim.

Fui pra casa. Pensei, pensei, pensei. Que encrenca era essa que estava me metendo? Nos vimos de novo, eu me sentia à vontade com ele, sabe assim, eu podia ser “eu mesma”!. Mas só de lembrar da casa dele, ai!

Na semana seguinte, ele me convidou à ir pra casa dele de novo, e disse que tinha “contratado” a vizinha dele pra dar uma ajeitada na casa. Sendo assim, resolvi ir. A casa estava - quase - normal. Ela fez o que pode… e o Brandon fez jantar, me paparicou toda, e no fim das contas, foi ótimo!

Um mês e meio depois chegaram minhas ferias. Eu ía pra Boston, depois pra New Jersey, e depois voltava pra casa. O convidei pra ir pra Boston comigo (mais pensando na carona), e não é que ele aceitou? Assim, na hora? E olha… no mínimo 8 horas de viagem (o que no final durou 12). Passamos o fim de semana lá, ele me deixou e voltou t-u-d-o sozinho.Pronto, aí estava a prova de amor que eu estava esperando…

Quando cheguei em New Jersey, passei 2 dias lá, e na segunda tarde, empolgada (de caipirinha) e conversando com a amigas, ligo pra ele e pergunto se ele pode me buscar (só pra testar, afinal eram 4 horas de viagem). De novo, inacreditavelmente, ele disse que sim…e que em 1 hora estaría saindo de casa. Uau…!

Pronto…o rapaz que eu pensei que jamais ficaría apaixonada havía me conquistado! Ele era bonzinho demais! (O que já é um 'turn-off'pra muita mulher), mas dessa vez não foi.

Update: Até que a Vivi lembrou de um porém desse dia. Disse pra ele que iríamos sair, ir num nighclub (onde ele foi nos encontrar, depois da longa viagem de 4 horas) e ele chega lá de bermuda e sandália. E eu toda emperequetada. Bom, não preciso dizer que não deixaram ele entrar... apenas minhas amigas. E ficamos esperando do lado de fora até elas saírem... Eu fiquei doida!

Era uma relação de amor e ódio. Porquê ele não podia ser "normal"?... Bom, até que….

Chegamos novamente na casa dele. Aí o desespero voltou. A ânsia, o pesadelo…o drama.

Passei dois dias inteirinhos limpando a casa. Quase não sobreviví…Sacos e sacos de lixo consegui tirar de uma casinha de 1 quarto. Quase vomitei algumas vezes. Na minha cabeça eu tinha mil dúvidas se realmente conseguiría me relacionar com alguém que vivesse assim. Na verdade, estava quase decidida à não levar isso adiante, só precisava alguém que me desse razão. E sei que a maioria das minhas amigas diriam que eu estava certa… que deixasse pra lá...que eu mereço mais, etc, etc...

Foi aí que em prantos liguei pra minha mãe. Ela me fez sentir uma tola…fazendo uma tempestade num copo d’água. “O que importa numa pessoa são os valores, decência, caráter”disse ela. “O modo como ele se veste, se onde mora está limpo ou não, isso você pode ajudar. Agora, bom caráter, ou ele têm ou não”.

Me senti realmente tola. Depois me senti melhor, pois não tinha tomada nenhuma decisão besta. Realmente percebi que estava fazendo uma grande tempestade, e que esse relacionamento merecia uma grande chance.

O Brandon só precisava de “direção”. Era a primeira vez que morava sozinho, e ele não estava nem aí! Quando conhecí a família, percebi que estava no lugar certo. Do resto, tudo melhorou…ele cortou a costeleta, começou a se ajeitar mais (embora até hoje tenha uns probleminhas), e até me ajuda à limpar a casa!

E é aí que lembro que essa não foi a primeira vez que agí desta forma. Já fui chata, fresca e mesquinha diversas vezes. E olha que não sou nenhuma "America's Next Top Model"…rsrs... longe disso! E outra, com certeza tenho v-á-r-i-a-s manias que devem enfurecer o mais paciente dos seres. E muito! Quem não têm? (pois é, você tambêm deve ter!)

Eu sei que muita gente está na mesma posição que eu estava. Afinal, sou a mesma mortal, cheia de sonhos. Mas será que não é hora de reavaliar os nossos conceitos? Como disse a Cristiane, será que não é hora de nos desligar do complexo de Cinderela? De novo, não aceite menos, nao inferiorize-se, apenas….faça uma reavaliação. Quem sabe, como eu, vá descobrir que há coisas que são bobagens...

E pensar que quase virei as coisas para este homem por coisas tão mesquinhas! E quase deixei passar essa pessoa que me faz tão feliz! E que cuida de mim… E que hoje posso dizer que devo amá-lo mais do que ele à mim!

Mais certeza que esta história tem final feliz? Bom, uma prova é essa coisinha linda que foi feita com tanto amor. E bota amor nisso!

24 comentários:

Carol Borba disse...

Linda a tua história! Simplesmente linda!
Desejo tudo de bom pra vocês!
Beijinhos,

Carol

Elaine Myers disse...

Cyn Lindaaa, acabei de chegar de viagem, e advinha a primeira coisa q fiz??? ahaha, ligar o computador p ver se vc escreveu a parte 2!!!
Li e amei, sabe, minha historia com o Bryan tem muito em comum com a de voces, o fato de eu me sentir soh e querer conhecer pessoas, o fato de te me cadastrado num sita de namoros, saih com um lah e aff (nao coloquei defeitos nesse mas ele os "jogou bem na minha cara",hahah), aih quando decidi q ia cancelar meu perfil, no mesmo dia o Bryan me escreveu querendo apenas amizade. E assim foi, por um ano, como palhacos na internet.. ateh que um dia ele resolveu ir me conhecer em Boston (ah, Boston)... e foi aih q tudo comecou. Mas a unica diferenca eh q eu me apaixonei por ele logo de cara, acho q jah tinha me apaixonado pelos emaisl, conversar por telefone, e webcam... mesmo q nao tivesse nenhum, mas nenhum flerting, apenas amizade. E hoje eu nao me arrependo de nada, amo a minha vida com ele.
E eu vejo o quanto eh enorme o amor de voces, amo ler sobre sua historia, o que vc pensa...
Nao existem muitas pessoas como voce, e eu te digo, vc eh uma das poucas que fazem por merecer e merecem tudo aquilo que conquistaram na vida.
Cyn vc eh uma inspiracao.
Amiga linda, estarei por aqui...
Um beijo p vc e sua familia linda!

Patricia disse...

Cyntia

Sabe quando a carapuça serve? Então.. serviu.. o "herbalife" como chamamos aqui para disfarçar é mto popular no Canadá. J
a conheçi várias pessoas mais sempre os requisitos bestas..O bom é que sempre temos a chance de mudar.. Vi sua história acontecer com uma amiga aqui perto.. E depois q vc dá a chance, é só amor.. ;)

Parabens! E felicidades.. Hj e sempre!
O convite para vir a Vancouver está de pé.. bjos!

vivia disse...

hahahahahhaha.... igualzinha a mim vc haha eh incrivel..ponho mil defeitos..e ou..passei mal de rir do elvis haha...lembro q vc me falava q ia dar um gilete pra ele raspar a costeleta hahahah vc reclamando do logan tb hahahhahaha...cara..q saudades..haha lembro demais dele indo te buscar... haha... a gente poco bebaca haha lembro demais q ele cheogu de sandalia e nao pode entrar na baladinha e vc ficou putaca haha..cara mas eh bom eu ler isso.pq tenho essa mania de por defeito..e cismar com uns naada a ver..os mais dificies ou os impossiveis..e viajar q to apaixonada..q nem um q to saindo...os dentes dele nao me agradam hahaha eh foda....outra..tem um livro q chama, "vc tb nao esta tao afim dele" hah lendo vc escrevendo parece q to relendo o livro..e no fundo eh o q todas nos sabemos mas bobonas nao enxergamoss.....tuuudo de bom pra vc..pro brandon e pra rebequinhaaaa..e vou tentar parar de "defeituar" as pessoas haha
bjoooo

Aline Godoy disse...

Oi Cyn,
é amiga... parece até q vc está dentro do meu coração! me pergunto se eu havia comentado algo c/ vc pq ao ler as duas partes pensei: "é para mim?"

Me passa seu telefone aí e te ligo daqui de SP mesmo. Estou precisando muuuuuuuuuuito conversar contigo.

Bjos, morrendo de saudades,

Janaina rachor disse...

Uau que estoria!!! De perder o folego!!! Amei!!!!!!!!!

Ellie disse...

Que estoria linda! Amei

Cheers! Fla disse...

Cyn, amei sua historia, que linda, encheu meus olhos de lagrimas e a Rebecca esta linda nessa foto!

Bjs

Claudia disse...

hahahaha...Brandon de costeletas? nao posso crer!!! Kd as fotos? E ainda bem que vc teve coragem de encarar a "limpeza " e dar uma chance pra ele né? Porque Rebequinha é a coisa mais fofa do planeta.. e só podia ser de vocês dois! :) Que lindo, lindo... muito amor pra vocês!

Thelma disse...

Amiga, que história linda! Você já tinha me contado um pouco mas adorei saber dos detalhes. Eita posts que me fazem pensar, viu?
Beijocas

* Leda disse...

Olá Cyn já acompanho seu blog há bastante tempo e adoro suas histórias!O post me fez lembrar do clube que eu tinha com minhas amigas:Clube das Zezés!
Exatamente por que nós estavámos sempre a procura de alguém mas nunca dava certo por colocarmos mil defeitos em todos.Assim como vc, eu e meu marido quase ñ aconteceu pq ele tinha um "pequeno" mas grande defeito pra mim, era mto filhinho da mamãe! Foi difícil,até retornei para o Brasil novamente para pensar.Ele tinha esse defeitinho, mas tinha uma qualidade que sobresaia,tal como o seu marido era muito bonzinho e fazia tudo por mim.Enfim, acabei tentando revidar a situação, compreender,e depois mudar, e que evolução aconteceu!Alguns dizem que temos que aceitar os defeitos mas acredito que o seu e o meu, era uma situação diferente e seria difícil de aceitar e sim tentar ajudar para mudar.Hoje ele já ñ é mais dependente da mãe e é um marido maravilhoso! E pelo que vejo o seu tb!Um abraço!

Angela disse...

oi Cynthia !

Linda sua história de amor!
E é assim mesmo! só temos que dar uma chance para o amor!

Dei risada quando li sobre a "costeleta de Elvis" ...rs...

Sabe o que gosto no seu blog?
Da espontaniedade, sinceridade.

Hoje dei uma geral no meu blog e adicionei vc, porque de tempos em tempos tenho lido o teu blog e gosto de ver as fotos da tua filha, que tao lindos e doces olhos tem!
beijao prá vc e boa semana!

angela

ps: dá um

angel disse...

rs...

ps: dá um beijinho nela por mim...

rs... escrevi pela metade...rs..

Shirley Sanches disse...

Olá!

Achei linda a sua história, não sei se você se recorda de mim, "falei" com vc, a Aline Godoy e a Thelma quando estavam de partida do Brasil para serem au-pair!
Eu desisti, e quando vejo o blog de vcs me emociono!
Hj, depois de alguns anos que desisti de ser au pair, me casei, e estou me programando para minha primeira gestação!
Linda sua menina!
Vou acompanhar o seu blog e te "linkar" no meu, ok?!

Felicidades!

Shirley

leilaneoliverio disse...

Oi Cynthia,tá cada dia mais lindo esse seu blog.
Saudades de vc viu!!!!!!

Seja muito feliz!!!!

Te admiro muito.
beijos

Ellie disse...

Oi Cyn,

Obrigada pelo comment no blog. O incendio que esta acontecendo aqui em Utah nao eh perto de onde eu moro nao, felizmente...

beijinhos

Elaine Myers disse...

Cyn, nem acredito que tah chegando, sera na proxima terca-feira.
Estamos preparados, hehe.
Seja o que Deus quiser.
Sabe o que eu queria???
Seu endereco daih de Idaho, manda p o meu email por favor????

elaine _guaru@yahoo.com.br

Beijinhos

like Bridget Jones... disse...

oi Cynthia

obrigada pela visita !
Pois é tragédias acontecem em todas as partes do mundo, mas quando é no Brasil e gente sente mais, né?
Mudando de assunto, esse vestidinho que a Rebecca usa na fot, me faz lembrar dos meus, quando eu era crianca...rs...
8-)
beijao e bom final de semana!

angel

Andrea disse...

Oiee Cyntia!!!!
Primeira vez q visito seu blog, tb moro fora, estou no Japão.
Mas q coisa linda esses seus 2 últimos posts...fiquei emocionada de ler sua história, vc escreve com o coração, parabéns e sucesso sempre. Sua filhota é uma boneca =]
Bjssss

Leila - Na Luta para emagrecer disse...

Linda historia de amor, fiquei encantada.
Sabe que tenho uma bela historia tb, um dia conto.
Beijos

Anônimo disse...

Oi
li uma pergunta sua pra Larissa do Meu Emagrecimento e te digo por experiencia propria que plastica redutora de mamas faz com que vc nao consiga amamentar seu bb exclusivamente. A producao do leite eh comprometida pq os canais condutores do leite sao cortados na reducao. sobre o tummy tuck nao sei te dizer.
abcs
andrea

Cristiane disse...

Oi Cyn!
Achei fantástica a segunda parte da história! No meu caso, também passei por cima de muito coisa louca e sei que o John fez o mesmo por mim.
Beijos
Cris

Luciana disse...

Que linda sua história.. as vezes eu penso assim, sabe, mas aí me vem na cabeça "se fosse assim, o primeiro estaria de bom tamanho"..

talvez se você não tivesse sido exatamente do jeito que vc foi no começo com o Brandon, com os outros, vc nao estaria com ele e nao teria a Rebecca.. talvez estivesse no Brasil.. sua vida seria completamente diferente..
Mas assim, quando for O cara, quando for O certo, por mais defeitos que ele tenha, por mais exigente que voce seja, voce vai encontrar um motivo (se eh que existe um motivo) para ama-lo.

Ah, acho que ficou confuso.. desculpa.. hauhau

Bjos

Shirley Sanches Alves disse...

Nooooosaaaaaaaa...vi um comentário meu qdo estava pra engravidar!
Menina, como aconteceram tantas coisas depois disso!
Minha Manuella é linda, a sua filha é a coisa mais linda tb!
Ler esta história depois de tanto tempo me faz refletir e lembrar como deixamos as boas coisas da vida passar por conta de pré conceitos tão bobos.

Bjkas,