quarta-feira, julho 25, 2007

Só para os de bom coração...

Primeiramente, amei os comentários deixados na ‘história de amor”. Bom saber que tem gente vê algo em comum, gente que já passou pelo o que eu passei, gente que só gostou porque gostou.

E as palavras de carinho…vocês não tem noção do quanto me fazem bem! Obrigada viu?!! Desculpe se deixei alguém preocupada, não foi a intenção...

É por isso que decidi vir aqui contar o que anda me atormentando. Quem sabe, talvez eu esteja apenas fazendo uma tempestade num copo d’água. Mas…

Ai…

Os dias passam, e eu sabia que uma hora isso ía acontecer. Eu iría me incomodar com a mansidão, com o nada à fazer. E com a cabeça quase vazia, eu iría enchê-la de problemas.

Desde a semana passada ando numa tristeza que ninguém merece. Nada me alegra, nada me contenta. E eu só fáço pensar no que eu podería fazer, mas não… Nada me atrai. Uma angustia chata que não sai do peito.

Quando penso numa coisa boa, logo em seguida penso em algo ruim sobre a mesma coisa.

Por exemplo… penso em como é bom estar em casa com a Becca, e logo em seguida penso em como eu estou “perdendo” tempo não fazendo coisas mais produtivas. É óbvio que estar com ela é ótimo, é prazeroso, não é perda de tempo de forma alguma (falando nisso, ela começou à dar os primeiros passinhos!), mas penso que eu podería estar trabalhando e ela podería estar se enturmando e fazendo amiguinhos.

O lado bom em estar em casa é que pelo menos em uma coisa ando me empenhando, como prometi à mim mesma que iría fazer. Saio pra andar/correr com a Becca todos os dias, e até agora emagrecí 6 kilos (só faltam mais 10 - só).

Mas de novo, quando me dou conta do quanto foi ótimo o Brandon ter mudado de emprego, logo em seguida me sinto culpada por estar em casa, e não fazendo algo pra ajudar também. E ele é tão bonzinho, que quando comento minhas frustações, ele diz que alguém tem que cuidar da nossa filha, e que isso não é trabalho à toa.

Mas sabe quando você não consegue outra coisa à não ser procurar pêlo em ovo? Sei que martírio é tolice, mas também não consigo “me desligar”.

E em cima de tudo isso, as coisas continuam não boas no Brasil, e me sinto mais culpada ainda por estar aquí, e não lá. Me sinto egoísta... sinto que não faço o que devería fazer.

Trabalhar na Grantops foi algo ótimo pra mim. Depois de alguns anos fora do “real mercado de trabalho” , voltar às antigas e mostrar do que sou capaz me fez um bem tremendo. É por isso que quando decidimos mudar, eu aceitei que não faría nada por algum tempo porque não precisava mais daquela afirmação de que era boa em alguma coisa.

Mas eu sou 8 ou 80... Só me empenho pra valer quando estou muito à fim de algo. Caso contrário, nem me animo. Admiro que é diferente; Quem é pau pra toda hora, quem não pára no ponto. Sabe, admiro que se anima e faz coxinha ou pastel pra vender, ou faz coisas decorativas em casa, etc, etc etc… Não adianta, esse tipo de coisa não é comigo.

Eu posso estar reclamando demais, mas as coisas aqui em Idaho não são como onde viví antes. Como sempre, todo local tem o seu positivo e o negativo. O custo de vida é bem mais barato, childcare também…metade e às vezes até um terço do valor. Masss, aqui também ganha-se muito menos. Até trabalhos em escritório que em outros locais pagaríam uma fortuna.

Fui lá, de novo, me registrei no career builder (site de empregos), e surpresa…uma operadora de turismo estava contratando…assim, serviços com a minha cara, coisas que fiz por tanto tempo. A responsável pela contratação estava mais empolgada do que eu, pois eu me encaixava bem no perfil. Mas, tem sempre um ‘but’. A empresa iría contratar e só depois do treinamento de 3 semanas havería um sorteio pra dizer que ‘turno’cada um iría trabalhar. Podería ser durante o dia, mas podería ser até perto da meia noite também. Então já viu…não dá.

Aí penso que devería tentar algo de novo, alguma coisa nova… e são tantas coisas que caberíam no meu perfil que no fim das contas não me animo a fazer nada. Podería tentar ser interior designer (decoradora) porém preciso estudar pra isso. Gostaría de escrever um livro (sobre o quê?), também me daria bem trabalhando num escritório… aprender à ser contadora ou na parte de health care, que aqui é um negócio e tanto.

No fim das contas pensei que devería voltar à estudar, principalmente porque posso conseguir um degree online e então me empenhar em construir uma carreira aqui (que nos EUA exije mais do que eu tenho à oferecer)…mas depois de me informar direitinho percebi que talvez não vale à pena ter mais-uma-dívida para acrescentar à nossa longa listinha de débitos.

Outra coisa que conta é a idade… não sou velha, mas convenhamos…não tenho mais meus 20 aninhos pra começar tudo fresquinho.

Será que eu tenho que sossegar o faxo e me focar em apenas ser mãe?! Sei lá…talvez seja hora de engravidar de novo… rsrs. Veja bem, agora que já casei, será que devo comprar uma bicicleta?!

Sem brincadeira agora…alguém aí já esteve na mesma situação? Sim ou não, será que dá pra dar uma opinião e uma “clareada” na minha visão?! Porque vou te dizer… está pra lá de ofuscada.

Bjs,

30 comentários:

Sonho Meu disse...

Oi amiga,
Li o teu post e entendí o teu desespero.
Acho que nunca é tarde pra começar, ou ora aprender.
Aí tem community college? Por que vc nao vai lá e se inscreve pra um curso ou outro? Eles cobram baratinho e até vc pode receber bolsas, dependendo das suas notas. E depois de 3 anos ou quem sabe menos...voce pode ingressar numa universidade americana, dependendo qual profissao vc quer seguir.
Deixa eu contar o caso da esposa do meu filho.
- Juliana mudou-se pros States, há uns 5 anos sem falar uma palavra de ingls. Começou a trabalhar numa creche cuidando de criancinhas entre 0 a 3 anos de idade. Descobriu daí que queria ser professorinha de crianca. Se matriculou no Community College(a noite) da cidade onde morava e como é muito inteligente recebia A+ em todos os creditos. Fianlmente terminou esse ano. Aplicou pra Tulane University, recebeu bolsa escolar completa e no proximo mes começa a estudar Psicologia Infantil. Not bad, não é mesmo? Portanto Cyn, voce tambem pode. O negócio é começar devagar e quando vc ver,ja vai ta lá, onde vc queria estar.
Veja onde tem um CCollege ai, e mande brasa (rs).
Boa sorte !
Bjos,
me

leilaneoliverio disse...

Cynthia por incrivel que pareça passo por essa situação.Me casei há 7 anos e sempre cuidei da casa e do Lucas.No começo tudo bem,ele nasceu prematuro muito pequeno e pesava 1 Kg.Precisava de mim mesmo.
Então larguei tudo pra ficar com ele.Agora é diferente,ele cresceu ja vai fazer 7 anos.Quero voltar a trabalhar.Estou fazendo uns testes em um hospital para recepção,mas não é fácil,pois também já não tenho mais 20 anos.Mas essa é a vida saiba que não é a unica em qualquer lugar desse mundo alguem vive algo parecido com o que a gente acha que "È Só comigo"!
Relaxa e deixe acontecer.
E sabe também pensei e comprar uma bicicleta.
Beijokas linda!!!!!!

Leila - Na Luta para emagrecer disse...

Oi Cynthia, entendo oque vc diz, e acho que somos parecidas.
Tenho 31 anos e uma filhinha de 3 anos, tb não tenho talento ou dom pra serviços domesticos, prendas ou qq hobbie deste jeito, tb penso em escrever um livro, tb tenho um marido muito compreensivo, mas moro no Brasil e nunca parei de trabalhar.
Qd tive a Ana Clara minha filha linda, me senti culpada por voltar a trabalhar, mas ao mesmo tempo, estava tão agoniada, triste e me sentindo 'estranha' por estar sem 'fazer nada', só sendo mãe, por tanto tempo (5 meses apenas).
Sentia necessidade de produzir, trabalhar, desde qd comecei aos 13 anos, nunca havia parado.
Resultado, nem que eu quisesse conseguiria parar, pq teria que baixar drasticamente meu padrão de vida pra viver só com o salario do meu marido, teria que morar na casa da sogra, vender carro e etc. e mesmo que pudesse não sei se queria, gosto de ser util, de saber que sou boa profissional, mas me sinto perdendo fases da minha filha, tudo oque ela aprendeu, fui a 2º a ver, sempre foi a tia da escolinha ou a babá..me sinto até hoje meio frustada com isso, gostaria de trabalhar 1/2 periodo ou em casa, mas não sei se me adaptaria, tb teria que mudar de profissão, mil coisas..
Entendo sua angustia, mas achei boa sua vontade de voltar a estudar.
Não sei como é ai, talvez seja tudo diferente, nunca sai do Brasil, mas espere uma boa oportunidade, vai aparecer.
Deus com certeza, te trará boas novidades, não fique triste, resigne-se, deixe na mão dele, que com certeza vai aparecer algo que vai te satisfazer.
E aproveite ao maximo o seu´'ócio', transformando ele em algo que te traga beneficios e prazer.
E curta a nenem...e o maridão..mas busque acima de tudo sua satisfação.
Beijos

Aline Godoy disse...

Oi Flor,

Estava aqui angustiada querendo saber o q está se passando. Bem, não sei se sou a pessoa mais indicada pois, como vc bem sabe, não estou bem. Mas direi à vc algo q escuto de alguém tds os dias, medá nos nervos mas é a PURA verdade: "o tempo é o melhor remédio". P/ cada ferida ou dor um tipo de remédio. Queria eu estar tomando um q sarasse c/ minha ferida bem rapidinho, mas Deus me receitou um remedinho homeopático, daqueles q demoram mas dão resultado. Tds os dias pergunto à Deus o por quê dessas mudanças na minha vida. Olhando p/ trás consigo entender muitas delas, só queria entender essas atuais mudanças. Faça vc o mesmo, pq certamente Deus está tentando te mostrar algo. Realmente TUDO tem um porquê, inclusive o fato de vc estar aí e ñ poder estar aqui, fisicamente, c/ sua família agora.

Acredito q nossas energias, pensamentos e sonhos nos transportam p/ perto das pessoas q amamos e isso ajuda e MUITO em tds os sentidos. Uma hora vc vai entender a razão p/ tantas dúvidas. Deixe q o sorrisinho da Beca alivie seu coração, a força e compreensão do seu marido te dê ainda mais força e o amor da sua família e amigos te impulsione p/ estar sempre buscando e batalhando.

Vc sabe o qto torço por vc e por td a sua família. E eu só tenho q agradecer a força q vc está me dando e como fiquei tocada por receber o mesmo apoio do Brandon, vcs são especiais!

Bjos c/ MUITO amor!

Cheers! Fla disse...

Cyn, nao estou nem acreditando, mas parece que estou lendo o meu testemunho!

Bom, mas nao vou nem me alongar nesse comentario. So queria dizer que vc ja tem meu email e pode me escrever qdo quiser..

Espero que logo, logo algo apareca pra vc.

Bjs.

Flavia Mariano disse...

Cyn vamos ver se agora o post chega. Ontem tentei, mas não foi. Passei e ainda passor por experiência igual a sua. Aliás, todas nós passamos em alum momento. Mas vamos lá:

- Há dois anos vim morar com meu namorado em uma cidade de 35000 habitantes. Para ele era ótimo, é médico e ganha bem. Mas para mim... FOI UM DESASTRE!!! Durante um ano fui aguentando e fiz até uma pós à distancia. Mas a q eu queria mesmo era um sem SP. Sairia caro demais, por isso não fiz. Mas no fim do ano já estava no meu limite. Deprimida. Então decretei: Independência ou morte!!! Ou largava meu namorado e ia ser o que quisesse, onde bem entendesse, ou faria uma limonada com esse limão. Sendo assim:

- Comecei a operar na bolsa de valores. Não é nenhum bicho de sete cabeças. Faço isso de casa mesmo. Pense q sou formada em jornalismo e ñão entendia nada de números.

- Decidi que ficaria rica e estou me tornando uma grande investidora tb de terrenos. Garimpo oportunidades p depois construir casas populares. É legal ouvir as pessoas falando: Nossa! Vc está me saindo uma ótima investidora!

- Comecei minha pós em SP. Já estou na metade. Vai-se pagando. Qdo vejo o valor, quase desmaio, mas vamos caminhando.

- Voltei a faz o q sempre sonhei: ser escritora. E escrevo bem!!! Um dia vc vai ler meus livros! Antes, com tantas tafreas do dia a dia e buscando algo do "mundo real" p fazer, tinha deixado o q realmente quero de lado. Fui p Vancouver e TO fazer cursos p me aperfeiçoar.

Posso te dar uma dica? 1. Como assim vc não tem mais 20 anos??? Amore acabou de fazer 30 !!! Super nova, linda e agora ficando enxutérrima!!! 2. Sei q o orçamento é sempre apertado, mas alguma parte, de alguma forma tem q ser para te realizar de alguma forma. Busque algo que possa fazer de imediato!!! Que tal um volunteer? É uma boa maneira de fazer contatos e fazer coisas legais!!! Assim vai fazer amigos e não só sua vizinha folgada. Tá vendo como leio tudo? srsrsr

ÚLTIMA COISINHA...srsrs qdo estava assim, indecisa e sem saber p onde ir, fazia terapia duas vezes por semana e estava quase indo os remédios, mas a minha terapeuta falava: ouça o q VC quer. Só isso vai dar certo, só isso vai fazer você feliz. E foi q fiz. Tem altos e baixos sempre, mas estou em busca do que realemte quero. Vc precisa estar bem e realizada p ser boa mãe e boa esposa, amanate, namorada!!!

Não fique triste, vc é muito fofa.

Beijocas e desculpa o texto longo srsr.

Beijocas

Flavia

Thelma disse...

Cyn querida, a idéia do college (eu tô fazendo meu curso de RH devagarinho, só 2 cursos por semestre, pois fica muito pesado no bolso. É a tal educação continuada, dá uma pesquisada pois são curso beeem mais baratos, só não sei se tem aí nos EUA) é ótima e a do trabalho voluntário mais ainda... Tenho certeza que acharás uma luz no fim do túnel, ou melhor, que decidirás o que é melhor pra ti. Segue o teu coração, guria! ;-)
Beijocas carinhosas

Elaine Myers disse...

Estou numa situacao parecida, bem parecida Cyn, mas sobre isso vou contar no email...beijos

Claudia disse...

Ai Cyn, vc imagina que eu, sem filho nem nada(e eu me lembro o quanto filho mexe com a gente, hormonios, a vida e tal) fiquei praticamente 9 meses num "limbo". Sem exatamente o que fazer, me metendo em mil coisas pra tentar achar o meu caminho. A verdade? Pessoas são diferentes... cada uma tem seu jeito próprio de encarar as situações, mas o mais importante: tentar! tente uma coisa, se não der certo, tente outra. Vc tem APENAS 30 anos... um mundo inteirinho pela frente pra conquistar.
Seja lá o que for que você resolver fazer, vá aos poucos, devagar e sempre... a sugestão da Eleninha é boa, de procurar um Community College, a de outra pessoa que sugeriu serviços voluntários tb, mas eu sei, que a gente precisa de grana né? Eu acho a sua idéia de ser decoradora o máximo!!! E vc tem muito talento. E acho que você vai depender mais do seu talento do que estudar. Ai nao tem Craigslist nao? Bota anuncio no Lowes, na Home Depot pra ajudar quem está querendo redecorar, ou pintar... etc... vc é craque nisso! Em todo lugar o povo está sempre mexendo na casa. Acho que é algo que daria pra você fazer de casa a maior parte do tempo e arrumar uns temps.. :) Força ai, que eu sei o quanto você é batalhadora e vai passar por mais essa!!! Se precisar, estou aqui ta? beijos mil em vc e na Becca.

* Leda disse...

Bom,tantas pessoas já deram suas opniões que digo-te serviram até pra mim!E analizando todas,há sempre um momento na vida de cada uma, que aconteceu o mesmo!E pra mim ñ é diferente!Por isso o título do meu blog ñ é a toa...Desde que mudei pra Portugal que venho fazendo escolhas...Tenho uma filha de 11 anos que já ñ precisa do mesmos cuidados que sua linda, mas necessita de muita atenção!Moro numa cidade pequena que tb ñ tem as mesmas oportunidades e tb ñ se ganha melhor.Em abril pedi demissão de um emprego numa multinacional, que eu teria muito futuro mas infelizmente era em Lisboa e eu todos os dias percorria 240km para poder estar lá mas quando minha filha veio morar conosco, abdiquei disso e hj ganho bem menos, mas tô do ladinho de casa num trabalho que ñ me dá muito entusiasmo mas que tenho estado presente todos os dias e isso me tem feito um bem enorme.Pq que eu fiz isso?Pq quando minha filha tinha idade da sua(fui mãe solteira)eu ñ tinha tempo pra ela precisava trabalhar pra sustentá-la e a noite fazia faculdade ou seja eu quase ñ via minha filha, por muito tempo me senti culpada e hj quero recuperar o tempo perdido...mas até eu ter essa estabilidade emocional, quase fiz besteira pq queria conquistar minhas coisas por me sentir presa e perdendo tempo...Por isso tente fazer algo de casa, e aproveite o máximo essa fase que daqui a pouco vai passar, e veja o lado bom das coisas vc tem um marido que a ama e uma filha linda que necessita de vc...E nada é mais importante do que isso!Um abraço!

Vanessa disse...

Oi Cynthia, entrei no seu blog por acaso...e achei sua história de amaor parte I e II uma graça! Gostei do seu jeito de escrever...e tbém fiquei curiosa com sua ida para os EUA e tal... enfim,,acabei lendo seu blog antigo! e uma coisa q vc tem talento menina, é para escrever viu?! fiquei maravilhada como vc escreve sobre o cotiano de uma maneira tão gostosa de ler... parece enredo de seriado norte americano! rs rs....enfim, adorei seu blog e toda sua história de vida! muitas felicidades com o Brandon e a Rebecca!! Beijinhos!

Sonho Meu disse...

Pois é, por isso, nós que temos família em Idaho moramos na Marilândia. Você é muito corajosa de morar em Idaho. É bonito, mas a gente morre de fome.

Abraços,

Philip

Sonho Meu disse...

Cynthia,
O comment acima nao é meu. O marido, que tem irmã lá em Idaho...que escreveu.
Eu adoro Idaho e gostaria muito de convence-lo a morar lá. Friozinho gostoso é cheio de montanhas é disso que gosto. Um dia, ainda o convenço. hehehehehe
bjos,
me

Anônimo disse...

Como diria a Cláudia: como assim bial ? APENAS SER MÃE ?? Que isso Cyn??? Vc disse que a Rebecca começou a dar os primeiros passinhos ... imagina se vc tivesse perdido essa cena ??? Como iria se sentir ??? Pode parecer coisa pequena ... mas ver a sua filhinha dar o primeiro passo ... não tem "vida profissional bem sucedida" que compense ... Acredite ... essa é uma das ( se não a melhor) fase de aproveitar a sua filhinha ... qUE POR SINAL ... QUE MENINA LINDA !!! Poderia virar empresária da sua filha ... Tipo comercial de tv ... rs Bonita do jeito q ela é ... vai te deixar com a agenda bem agitada ...rs

Isabel disse...

Adorei os posts "Amor", sua história foi muito legal mesmo, e olha quase que vc perde o seu grande amor, ainda bem, que vc não desistiu, e vou te falar uma coisa, acho que todo mundo é assim.
Agora quanto a o que vc esta sentindo no momento, não fique assim, todos nos temos os nossos momentos de "inferno" isso é normal, afinal a vida é uma eterna procura, por isso, não fique triste, deixe essa maré passar, que logo vc vai se sentir bem e ter uma ideia maravilhosa, aliás sua filha como sempre uma Boneca.
Beijos

Shirley Sanches disse...

Olá Cyn,

Não fica chateada!!
Me senti assim há algumas semanas após ficar sem emprego!
Só dormia e chorava, foi dificil pois estava recem casada!
Meu marido me levou pra cortar o cabelo pra ver se eu me animava e no dia seguinte me ligaram e aqui estou eu, trabalhando num dos grandes jornais de SP!
Infelizmente o trabalho é temporário, mas me fez um bem danado!
Sabe qual a conclus]ão disso tudo?
Acredito que coisa boa atrai coisa boa!
Levante se anime, se ame e veja as coisas boas que te aconteceram e vão acontecer!
Espero ter ajudado!

bjkas e boa sorte, viu!?

Shirley Sanches disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Minha querida amiga, adorei a ideia de outro baby... morri de rir com a filosofia do Brandon. Desculpe a ausencia, ce sabe to aqui aproveitando os mimos.. daqui a pouco acaba, mas nao quero nem pensar nisso. bjoes.. Bom weekend ai. Pry.. bitocas na Bequinha, ah vimos o video dela.. ta uma graca.

vivi disse...

cyn...ai 1..bom saber q ta lendo la hauea eh pra vcs mesmo saberem da minah vida..e nao ter q ficar mandand scra ou email uma a uma haha..bom..sua situacao..sei muito bem como...eh foda.... nossa... nao sei o q te falar pq to na mesma situacao...to trampando..mas em novembro acaba..vou ter q estudar...mas no meu caso vou ser obrigada ne..pra pegar a permanencia..mas eh foda..quando a gente ta muito a toa a gente se sente meio culpada, inutil...nao eh soh vc..todas nos somos assim haha..eh foda... mas pensa..vc nao ta a toa..vc blz..ta sendo mae...imagina se fosse era tar em casa com os pes pra cima a toa? ai sim.... mas oia..nao deixa passar muito...mesmo sem saber o q fazer..tipo..nao para..tipo..nao sai do mercado..pra depois se quando vc quiser voltar a ativa nao ser dificil... uma das coisas q mais me matava no brasa e ainda me mata eh a falta de experiencia... q nao tenho.. eh foda viu.... ai to falando nada com nada..eh domingo..ja viu ne haha...
bjo creuza..
te adorooooo e fica de boa cuidando da rebequinha..daqui a poco ela ta maiorzinha e vc ta de volta a ativa c vai ver...
bjaoooo

Ellie disse...

oi Cyn. Entendo bem essa sensacao que vc esta sentindo. Eu sei porque Utah tambem eh bem paradinho nesse sentindo, mas a gente tem que olhar essa regiao com outros olhos. Aproveitar o que esse lugar tem de bom.

Eu sei que aqui eh um lugar muito bom pra se criar filhos. Eu tenho certeza que a Rebecca vai ter memorias muito legais da infancia dela. Muito sossego, muito paz, e muito verde por ai pra ela explorar.

Espero que voce encontre o seu caminho. Algo que lhe faca sentir aquela paz interior. Um super beijo e vou ficar torcendo por vc.

Karu disse...

Oi Cyn!!!

Aqui estou eu comentando.... acho que consigo entender seus problemas...
E acho que você deve procurar um emprego pra vc sim.... vai te trazer novos horizontes!
Se a grna não dá pra estudar agora, deixe pra uma próxima hora (é o q estou fazendo) mas procure algo que vá ser diferente pra você.

Boa Sorte!!!

Ela disse...

Oi Cyn. Se já estive na sua situação? Umas mil vezes, posso dizer. Até uns dias atrás ainda estava. Tenho até um emprego, mas estava cansada da mesma coisa e perdida no que eu poderia fazer pra melhorar. Em relação a voltar a estudar, não me aparecia a coragem de começar do zero e pagar rios de dinheiro. No momento preciso ganhar, nào gastar. Todas as profissões do mundo me passavam pela cabeça, mas sempre tinha um porém.
Esses dias me ofereceram um emprego ótimo, que nem nunca tinha me passado pela cabeça, mas no fundo é bem parecido com o que eu andava sonhando sem saber.
As coisas acontecem naturalmente, acredito eu.
Quando me mudei da Califa pra cá, meu senhor, foi um baque total. Vinda de cidades grandes, como o Rio, entrei em depressão, mas depois que arrumei um emprego tudo melhorou. Acho que iria te fazer melhorar também. Qualquer emprego pra início de conversa. Depois do contato com o público, vai te aparecer um rio de opções.
E ri quando vc falou de fazer pastel e coxinha pra vender...
Quando ainda estava no Brasil esperando meu visto, sem trabalhar, sem fazer nada, comecei a fazer mini pizzas por encomenda. hahahhah. Fez sucesso!
Bom, muito boa sorte pra vc e nos deixe saber o que vc decidiu!

Laura disse...

Cyn, eu li o seu post antes, mas so agora estou tendo tempo de comentar.
Nao vou dizer que tenho as palavras certas pra voce, alias nem sei bem o que dizer. Eh dificil, eu entendo. Acho que uma maneira ou de outra todos nos passamos por situacoes semelhantes algumas vezes. Eu por exemplo, estou querendo fazer o contrario de voce. Estou querendo parar de trabalhar e ficar somente em casa tomando conta do meu filho. Pra voce ver como sao as coisas.
Espero que voce melhore logo.
Beijos pra voce!

like Bridget Jones... disse...

oi Cynthia

ai.. é difícil falar prá vc, faz isso ou aquilo... sei lá...
Cada pessoa é diferente da outra... e tem necessidades diferentes ...
Faca o que ti faz feliz...
né?
tenho certeza que tudo vai ficar bem.
beijus
tudo di bom!

angela

like Bridget Jones... disse...

oi Cynthia

ai.. é difícil falar prá vc, faz isso ou aquilo... sei lá...
Cada pessoa é diferente da outra... e tem necessidades diferentes ...
Faca o que ti faz feliz...
né?
tenho certeza que tudo vai ficar bem.
beijus
tudo di bom!

angela

Carol Borba disse...

Pois é... difícil...
Eu já estou com 27 anos e ainda nem casei. Bom, mas pelo menos já comprei a bicicleta. hihihi
Espero que as coisas logo se resolvam na tua cabecinha. É complicado, mas a gente acaba dando um jeito. Eu ainda estou na faculdade e nem namorado tenho. Mas sei que um dia, espero, as coisas se ajeitam. Quero muito ser mãe, muito mesmo, mas sei que não vou conseguir ficar em casa cuidando dos filhos. Amaria poder ver cada momento, acompanhar os primeiros passos, as primeiras palavras, mas a gente também precisa de algo mais na vida, algo que convença a gente de que a gente tem valor. Adorei a atitude do Brandon de te motivar, porque realmente cuidar de criança não é fácil, mas entendo o que você sente. Relaxa. Tira uns dias pra pensar e resolver. Logo alguma coisa muito boa vai acontecer e você vai ver que vai ter valido a pena esperar.
Beijinhos.

Euzinha disse...

Eu imagino que nao deve estar sendo facil pra vc passar por essa situacao, mas nao menospreze o que vc sente, pra vc a situacao esta sofrida e ponto. Mas acredito que talvez, esse tempo extra ate seja bom p vc conseguir pensar e vivenciar varias experiencias pra saber de verdade qual é o seu caminho, sem pressoes.
Bjo qquer coisa estamos ai viu? rs

Angela disse...

BOMMMMMMMMMMMMM Dia !
_________@@@@@@@@__________@@@@
________@@@________@@_____@@@@@@@
________@@___________@@__@@@______@@
________@@____________@@@__________@@
__________@@________________________@@
____@@@@@@______@@@@@___________@@
__@@@@@@@@@__@@@@@@@_________@@
__@@____________@@@@@@@@@_______@@
_@@____________@@@@@@@@@@_____@@
_@@____________@@@@@@@@@___@@@
_@@@___________@@@@@@@______@@
__@@@@__________@@@@@________@@
____@@@@@@_______________________@@
_________@@_________________________@@
________@@___________@@___________@@
________@@@________@@@@@@@@@@@
_________@@@_____@@@_@@@@@@@
__________@@@@@@@
___________@@@@@_@
____________________@
____________________@
_____________________@
______________________@
______________________@____@@@
______________@@@@__@__@_____@
_____________@_______@@@___@@
________________@@@____@__@@
_______________________

e boa semana tambémmmmm !!!

bjos



angel

Cristiane disse...

Oi Cyn,
Sei q algumas pessoas já falaram isso, mas p q vc não tenta ser voluntária? A Cruz Vermelha está sempre precisando e seria apenas por 1 ou 2 dias na semana (além de contar como experiência no currículo). Vc poderia tentar dar aula meio-período em uma escolinha, pois poderia levar sua filha junto e ainda ganharia desconto na mensalidade. E que tal ser intérprete em hospitais ou centros comunitários? Tenta fazer um cursinho só pra termos técnicos ou mesmo estudar espanhol. Quanto a não ter o q escrever... Que tal um romance! Ou uma biobrafia? Vc poderia escrever algo ficcional baseado na sua vida! São só ideias! Beijos, Cris

Fabiane Ferraz disse...

Oi Cyn,
Faz um tempao que nao venho aqui e tenho que me atualizar nas suas novidades. Eu entendo a tua situacao e sei que toda a mae passa por isso. Eu pensei muito em ficar me casa com meu filhinho e e tudo o que meu marido quer que eu faca, so que nao consigo MESMO, sou inquieta e essa agonia que te persegue, no meu caso, comeca a perseguir as pessoas ao meu redor tambem, fico chata mesmo. Eu pensei muito em voltar da minha viagem e "me demitir" mas ja desisti e la vou eu na segunda feliz da vida trabalhar novamente.
Eu tambem entendo o que tu disse sobre estudar, tambem estou desanimada quanto a isso. Estou fazendo um college online mas e dificil quando nao se tem horario, eu nao funciono bem com muita liberdade (talvez contigo seja diferente se tu for mais disciplinada do que eu sou, o que nao e dificil!).
O Andrew esta caminhando pela casa toda e eu amo essa fase. Ver todos os "primeiros" nao tem preco.
Bom, eu nao quero ser muito opiniatica mas tu nao poderia voltar a cuidar de crianca por enquanto? Tambem nao e facil, eu me sinto culpada mesmo com ele la comigo mas e algo que da pra fazer enquanto curtindo a tua filhinha.
Idaho parece com Vermont pelo jeito que tu fala dai.
Forca pra nos todas. Nao e facil ser mae mas ao mesmo tempo e maravilhoso.
Beijos
Beijos