segunda-feira, outubro 01, 2007

Something to Believe In

updated

Quando era (bem) mais nova...tive a fase de gostar muito de Rock n' Roll. Foi logo depois daquela fase do New Kids on the Block - ok, abafa!

Foi logo quando a MTV começou no Brasil, se não me engano lá por 1989-90. Eu gostava mesmo do Guns N' Roses, mas lembro bem daquela banda com o vocalista lindo de morrer - Poison. Eles eram famosos, mas não tanto, e logo depois, sumiram.

Bom, estava eu aqui assistindo televisão uns dois meses atrás, e eu que (ok, admito!) não consigo largar meia dúzia de reality shows, me deparo com esse programa, com um cara que não me é estranho. Nem o nome dele eu sabia, mas aquela fisionomia eu jamais poderia esquecer! O nome do programa: Rock of Love. O nome dele vim a saber: Bret Michaels. OMG! Damn, he is HOT! Vai ser bonito assim lá na #$@&...

De um dia pro outro fiquei viciada no show. É incrível como para algumas pessoas os anos só melhoram aparência. Se antes ele já tinha um rosto que era "killer", agora...ai! Até dói de tão lindo. O show já estava no meio, fui na internet e coloquei em dia todos os episódios que ainda não tinha assistido. Sabe, esse reality show é mais um daqueles mulherzinha, tipo o Bachelor. Começam com 25 garotas, que estão sendo eliminadas aos poucos, até sobrar aquela que terá como grande prêmio...ah... tem coisa melhor do que ser namorada dele?!

Eu nem sabia que o Poison ainda existia, mas eles estão super na ativa. Mas enfim, além do Bret ser muito, mas MUITO gente boa (simpático, amigo, gentleman, e...já disse que ele é lindo?!), o que no fim me atraiu ainda mais no programa foi uma coisa muito, muito mais pessoal....

Minha Vida

Devia ser o meu terceiro ou quarto encontro com o Brandon, e antes das coisas ficarem definitivamente sérias, eu sentia que tinha que ser sincera e contar pra ele sobre o meu passado. Tinha que contar que já havia sido casada e era divorciada. Que não, não tinha filhos. Que talvez tivesse que voltar pro Brasil. Essas coisas que, na vida real, assustam qualquer um.

Mas não ele. Na verdade disse que tinha que me contar algo também. Na minha cabeça já veio: pronto, ele deve ter um filho/a", ou... "ele decidiu entrar na Army e deve ir pro Iraque por 1 ano". Sabe né... a criatividade da mulher não têm limites.

Mas o que ele tinha que me contar é que tinha diabetes. No primeiro momento fiquei meio sem entender. O que a diabetes tinha a ver com a gente? Na minha total ignorância, uma pessoa com diabetes só tinha que ter uma dieta mais equilibrada e evitar doces. Sei de alguns casos um pouco mais graves, como lembro quando eu e meu tio saímos pra jantar com o Milton Nascimento, ele teve que tomar insulina num certo momento, mas não sei até que ponto ou grau a diabetes influenciava no seu dia-a-dia.

Foi aí que a minha aula começou. Primeiro, quem só precisa de uma dieta balanceada são os com diabete tipo 2, e ainda assim, alguns mesmo assim precisam injetar insulina. O Brandon tem a diabetes tipo 1, ou seja, o corpo deles não fabrica insulina alguma! "E, quando a insulina não é produzida, o corpo não consegue absorver a glicose, fazendo com que as células passem fome e, ao mesmo tempo, o organismo tenha sempre altos níveis de glicose circulando pelo sangue."

Naquele momento, eu jamais podería imaginar como era vida dele. E foi aí que ele me disse que tinha que me contar, pois esse foi o motivo de muitos dos seus relacionamentos terem acabado. Eu não pude acreditar que uma pessoa fosse tão sem coração para não continuar um relacionamento por esse motivo.

Bom, eu aprendi a lidar com isso, e vou dizer, não é fácil. Faço de tudo pra não deixar transparecer, mas vivo numa constante angústia de que alguma coisa possa acontecer a ele. Sofro por ele e com ele. Várias vezes por dia ele tem que checar o sangue e saber o nível de glicose. Se está baixo, corro para fazer leite com chocolate, ou coisa parecida. São inúmeras as vezes que, de uma pra outra, ele começa a enfraquecer de uma forma que não consegue ficar em pé. A última noite foi um "challenge". Ele acordou duas vezes...na primeira checou e estava com quase 20mg apenas. E depois 50mg. Geralmente nessa altura a pessoa já desmaiou e está quase entrando em coma.... mas ainda bem, o corpo dele parece ser forte.

update Há algumas formas diferentes para cuidar da diabetes 1 com insulina. O Brandon tem uma 'insuline pump'... um aparelho que é uma bomba, que é ligada por um 'fio' que ele conecta na barriga e que lhe dá várias doses de insulina durante o dia. Pense em quando vc toma soro... é a mesma coisa, só que na barriga, e a "pump" ele leva no bolso. Tem que usar isso 100% do tempo (só não usa quando vai tomar banho ou coisa parecida), tem que durmir com isso tbém. Outras pessoas tomam várias injeções de insulina durante o dia...geralmente 3 ou 4.

Além disso, tem mil e uma complicações que só quem vive isso no dia-a-dia pode entender. Ele pode ter uma lesão nos olhos, pode ter uma lesão nervosa, problema nos pés, doença renal, no coração e nas artérias. Qualquer deslize significante e ele pode entrar em coma. Definitivamente, não é fácil pra ele. Eu sofro por vê-lo tendo tantas dificuldades, mas nosso amor apenas nos fortalece, e enfrentamos essa doença juntos.

Mas voltando ao assunto...

Quando contei ao Brandon se ele gostava do Poison (o grupo), ele disse que claro...ama as músicas. E tem um motivo especial...o Bret Michaels, como ele, também tem Diabetes 1.

Eu j-a-m-a-i-s imaginaria que ele tinha diabetes 1....e fui procurar saber, e aprendi muito mais. Logo no começo da carreira deles, no auge do sucesso, antes de um show, ele injetou insulina e no maior fusuê de encontros e pessoas falando com ele, acabou esquecendo de comer. Foi fazer o show, e dalí uns minutos desmaiou no palco, e só foi acordar no hospital. A mídia já foi dizer que ele era "trash"e que tinha tido uma overdose de heroína. E foi aí que ele veio à limpo e disse que tinha diabetes.

O Brandon começou a ter problemas com 16anos. O Bret tem desde o 6 anos de idade! E imagina...agora estamos muito mais avançados...mas pense nos anos 60, as coisas não eram adiantadas como agora. Nem posso pensar em como era medir a glicose de uma criança, várias vezes por dia. Que dó! Coisas assim acontecem com tanta gente e nós não temos nem idéia...

Ontem foi o último capítulo. No primeiro encontro, ele estava passando mal...e a acompanhante nem aí. Disse pra ela mil vezes que precisava comer (se ele toma insulina e não come, pode desmaiar e entrar em choque e em coma), e ela nem aí.

No segundo encontro, por incrível que pareça, ele estava passando mal de novo. Explicou pra garota o que estava acontecendo, e ela fez o possível pra entender. E no final, foi fundamental pra escolha... e eu bem sei os sentimentos dele. Afinal, vivo com uma pessoa que tem os mesmos problemas.

Mal posso esperar pelo dia que doenças serão coisas do passado! It gives me Something to Believe in

Ps1.: Mais informações sobre diabetes 1 aqui

Ps2: Amei os comentários e idéias para novos posts. Vou usá-las com certeza!

11 comentários:

Anônimo disse...

Imagino que não seja facil mesmo, o que não dá pra imaginar é que isso possa ser motivo pra não se ficar com uma pessoa.
Tenho uma amiga que foi abandonada pelo namorado quando descobriu que tinha câncer. O %$$#%¨& ainda transou com ela uma última vez pra se despedir antes de terminar o namoro.
Mas são nestas pequenas coisas que a gente conhece as pessoas e fico feliz por nao estar perdendo meu tempo vindo aqui te visitar.

Um beijo

like Bridget Jones... disse...

oie

sabe que eu também adorava a época quando comecou a mtv ...
Lembro do poison vagamente, mas vendo o video, que música, e que voz, hein ?
8-)

Sobre diabetes, meu pai tinha, e o teimoso, quando soube nao contou prá ninguém e continuou a comer os doces dele que ele sempre comia....resultado : belo dia encravou a unha do pé dele.... já sabe né?
pois é, precisou chegar na coxa,a gangrena prá convencerem o meu pai a amputar a perna. Ele já era bem velhinho e teimosoooooooooooo como ele só...e mesmo depois que amputou a perna ele nem se cuidava.. vivia comendo doces da praca com os "amigos" .

Vejo que seu marido se cuida,é isso aí !!!

bom fico por aqui ti desejando
boa semana !
**_____*__*____________
_________*___*___*__*_______******
__________*___*__*________**::::::::**
______________*__*_______**::::::::::**
_______________*__*_____**:::::::::::**
________________*__*___*:::::::::::::**
_________________*_*__*::::::::::::::**
_____**********____##*::::::::::::**
___**:::::::::::::::::::* ^^*::::****::::**
__**:::::::::::::::::::::*^^^**:::::::::::::**
___**:::::::::::::::::****^^^*:::::::::::::**
_____**:::::::::::**:::::::*^^*:::::::::::**
__________****:::::::::::::*^*********
____________**:::::::::::**
___________**::::::::**
____________******
bjossssssss da Angela

Aline Godoy disse...

Oi Amiga querida!

Sabe q nós duas nunca paramos p/ conversar sobre isso né? Mas é o amor q prevalece e fortalece mesmo. Veja: mesmo não estando mais c/ o Carlos (e claro, ainda tenho lindos sentimentos por ele) continuo a me preocupar e muito! c/ ele. Sabe não é fácil estar ao lado da pessoa q amamos e ver qto preconceito há por aí. E olha q no caso do Brandon não é algo visível como o Carlos.

Eu tb sentia muito na pele o preconceito e hj vejo c/ outros olhos a realidade do deficiente físico e é por isso q abracei essa causa. Uma para lutar ao lado dele por uma sociedade mais igual e mais justa e conseguir ver certas justiças e saber q ele e outros, ainda poderão andar livremente por calçadas adaptadas, locais públicos adaptados, e entrar e sair de locais públicos c/ acesso à deficientes e serem respeitados.

Infelizmente nosso país ainda está engatinhando neste sentido, mas pelo menos já é algo. Eu sempre disse à ele o qto a vida nos EUA é mais fácil e acessível p/ deficientes. Aqui uma cadeira de roda bos custa quase o preço de um carro e só pessoas c/ maior apoio conseguem, caso contrário a única saída deles é andar em um skate e vender bala dentro do trem p/ ter o q comer. Convivendo c/ eles na ONG é q vejo o qto o mercado de trabalho não está preparado. A lei existe e cobra a cota de deficientes, mas muitas empresas não estão preparadas p/ receber um funcionário deficiente. Uma pena! Muitos deles têm muito mais vontade do q pessoas sem deficinência física ou mental alguma. O único trocado q dou em farol agora é p/ os deficientes pq eu sei o qto eles precisam de verdade. E estou aprendendo a ver a diferença daqueles q fingem e dos q tem alguma deficiência.

Sabe onde estravaso meu mau humor e TPM? Discutindo sobre vagas sinalizadas e gente folgada colocando o carro na vaga deles. O gerente do Carrefour aqui perto de casa nem quer mais me ver por perto! hauhauhauauha Já briguei muito!

Ai, mas deixa eu parar senão escrevo ainda mais. Um dia se quiser, mando um textinho c/ minhas expreiências e se vc quiser colocar no Blog é só pedir. Estou esperando o post sobre Educação Bilíngüe, hein?

É acho q vou montar um blog, só p/ ter o q escrever já q não agüento mais corrigir provas, lições e trabalhos.

Bjos bjos

Sonho Meu disse...

Oi amiga,
Tudo isso a gente suporta quando amamos a pessoa que escolhemos pra nossa vida toda. Ele tem que viver no regime e ter cuidado com a alimentacao.
E como vc diz, um belo dia a cura de todas as doenças vai aparecer e diabetes I e II vai ser coisa do passado.bjos,
me

Mônica disse...

diabetes e barra..meu pai era mas era da do tipo 1...so precisou tomar insulina por que nao fazia dieta alguma...lendo seu post vi como a vida do meu nao foi dificil com diabetes...e mesmo assim foi barra.

Fabiane Ferraz disse...

Oi Cyn,
Eu acredito o quanto seja dificil!
O pai do Andy tem diabetes 1 e tem que injetar insulina sempre (eu nao sei "how often" porque ele nao fala sobre o assunto)e eu sei que o meu Andy e predisposto a doenca tambem. Nos conversamos muito sobre isso e eu tenho medo porque ele nao pratica nenhum esporte, e meio sedentario mesmo!
Eu tambem nao sabia nada sobre a doenca ate que um dia (ja aqui nos EUA) eu fui a uma festa de amigos que jogavam volei comigo e presenciei um deles injetar algo na barriga. Fiquei apavorada, pensei que ele estava usando drogas na minha frente e eu nao queria estar nesse meio. Ele foi super "cool about it" e nos explicou que tinha diabetes e que sabia quando tinha que injetar insulina. Ele ate andava sempre com um estojo no bolso da bermuda que eu nunca tinha percebido.
Com certeza e uma doenca muito dificil de lidar, como estar sempre tentando equilibrar uma bandeja de copos cheios mas eu fico feliz que TEMOS A POSSIBILIDADE de conitnuar tratando. Imagina se nao tivessemos?
E e lindo ver que voces lutam juntos e que so faz crescer o amor de voces. E lindo mesmo!
Boa sorte. Que esse amor so cresca.
Beijos

Ellie disse...

Oi Cyn. Amei o seu post. Meu pai tambem tem diabetes e precisa injetar insulina. Se ele nao come, comeca a enfraquecer e a suar e ficar palido. Eu sempre fico com o coracao na mao. Que bom que voces tem um ao outro. Forca e quem sabe logo teremos a cura pra diabetes. Beijos.

Cheers! Fla disse...

Oi Cyn, nossa deve ser fogo mesmo. Mas que bom pra ele que ele tem voce pra ajuda-lo, pois nao deve ser facil mesmo. A mae do Paul tinha diabetes e nao era facil pro pai dele tbem nao.

Nossa, Guns n' roses, Poison... adorava. E ele eh muuuito lindo!

Bjs.

ela disse...

Oi Cyn...
Sei muito bem do que vc esta falando. Minha mae esta no hospital por causa da maldita diabete. Ela teve todas as complicacoes que vc citou acima. Insuficiencia renal, problema no coracao e nas arterias, o que resultou o edema pulmonar que quase a matou duas semanas atras. Ela esta a um passo de ficar totalmente cega. E muito triste. Nao enxerga quase mais nada, so vultos. E uma doenca muito cruel, que faz um problema puxar o outro e quando se ve a pessoa ja esta toda descompensada.
Quando meus pais estavam aqui em janeiro, minha mae foi parar no hospital com o acucar a 504 e a pressao a 27 por 12. Quase em coma. Nao sei como ela sobreviveu aquilo.
O problema dela foi ter ignorado a doenca quando era mais nova.
Quando cheguei ao Brasil da ultima vez, me chocou ver o quanto a minha mae envelheceu em apenas 8 meses sem ve-la. Envelheceu uns 15 anos. Foi chocante.
Muito boa sorte na sua luta contra a diabete, que Deus os proteja. Tudo vai acabar bem!
Forca sempre!

Cristiane disse...

Oi Cyn,
Que bom que o Brandon encontrou uma pessoas tão cuidadosa como você! Desejo a vocês tudo de bom!
Beijos
Cris

Lucia Stevenson disse...

Ola, achei seu blog pelo "Mundo Pequeno" e como voce tb fiquei viciada nesse show (e olha q nao assisto muito desses 'reality shows'). Mas tb fui e ainda sou fa do Poison.

Tb nao sabia muito sobre diabetes e foi legal da sua parte explicar e nos referir a aprender mais sobre essa doenca. Nao sabia que era tao seria. Tenho certeza de que com a nossa medicina de hoje e tb com alguem como voce do lado, o Brandon nao vai precisar se preocupar.

Legal te conhecer. Lucia