quarta-feira, setembro 10, 2008

Happiness...

Quantos e quantos e emails ja recebi falando da tal felicidade. Que sempre à buscamos em algum lugar mas ela esta mesmo é guardada dentro de nós.

Se formos seguir ao pé da letra, é verdade e não. Assim, a felicidade completa não é possível nesses dias. Afinal, é só olhar pro lado e alguém querido está doente, ou passando dificuldades, ou até nós mesmos. Como ser realmente feliz num mundo com tantas injustiças? Tem coisas que não há o que se fazer… e não há bom estado de espírito ou humor que aguente.

Mas há como encontrar certa felicidade dependendo das nossas escolhas e da forma que vemos certas coisas. Por exemplo, vivendo dentro de uma realidade e não apenas correndo atras do vento, lutando pra conseguir o quase impossível. Eu ainda tenho uns dois ou 3 sonhos, o de comprar a casa que eu queira mesmo estar e que minha filha (ou filhos) crescam. Estar mais perto da familia. Viajar, conhecer mais países. Coisas assim. Claro que eu gostaria de ter meio milhão de dólares para poder escolher a casa do jeitinho que eu gosto, mas vou me contentar com menos. Óbvio que queria ter dinheiro sobrando, contratar uma baba pra levar comigo e ir conhecer a Europa inteira semana que vem…mas vou esperando.

É por isso que volta e meia eu bato a cabeça, paro de sonhar um pouco, e abro os olhos para ver as coisas que eu já tenho, que já consegui. É como eu disse aqui … ver que do mais…eu já estou vivendo a maior parte do ‘meu sonho’.

E me dei conta disso ontem. Fuçando no orkut encontrei algumas fotos do meu ex-marido. Eu tinha uma certa curiosidade em saber que fim ele deu…

Deixa eu voltar a história um pouco.

O meus ‘sonhos de adolescente’ eram dois. 1- fazer o ginásio no exterior. 2 - ter um namorado lindo, que fosse apaixonado por mim, e então iríamos nos casar, tem uns 2 filhos, uma casa linda, e nos amarmos pra sempre. Essa era a teoria.

O ginásio nos EUA não aconteceu, mas encontrei o namorado. Que pra mim era lindo (e na época ele era). Que eu achava que me amava. Mas parece que só eu vía isso. Não tinha um na minha família que gostava dele. Nenhum amigo que me conhecia há anos. E acho que ninguem na familia dele gostava de muito de mim também. Era aquele negócio: ‘a gente tem que se aceitar e se aturar’. Parecia que nossas famílias vinham de 2 mundos diferentes (hoje eu vejo isso). Ele bebia um pouco demais…mas eu achava normal. Sabe, adolescente, deixa ele curtir. Pense no relacionamento mais conturbado possível... era o meu. Só eu não vía que o meu futuro, com aquele príncipe-que-de-encantado-não-tinha-nada, não daría certo.

Mas mesmo assim o casamento aconteceu…quando eu mal havia completado 20 anos. E dalí foi ladeira abaixo mais ainda. Brigas mais brigas, e brincar de casinha não era o que eu quería. O ‘bebia um pouco demais’ era mesmo alcoolismo, e de lá foi um passinho para a ‘erva’. Não tinha trabalho que aturasse, ou chefe que aguentasse tantas absências. E volte e meia eu tentava entender onde é que eu havia me metido. E sofria com isso...porque a nossa vida não podia ser diferente, e feliz? Bom, todo mundo sabe que o casamento não deu certo, e acabou em bem menos de 2 anos. Ainda bem, no kids.

Aí, voltando pro Orkut. Vou mentir se dizer que não tinha curiosidade em saber o que aconteceu com ele. Aquela esperança de: “tomara que ele tenha tomado outro rumo na vida“. Mas depois que o vi pela ultima vez para assinar o divórcio em 2002, tinha uma quase certeza que, mudança, naquela pessoa, seria algo BEM difícil. E foi aí que ontem encontrei algumas fotos, e…..ai.

A primeira reação foi: “não acredito!“ A segunda: “o que aconteceu com ele????” A terceira: “como eu consegui um dia casar com aquela pessoa”. Tenho vergonha de mostrar a foto, para quem quer que seja. Assim, ‘não vou cuspir no prato que já comi‘, afinal, parte do sucesso do meu casamento hoje acredito ser pelo o que aprendi naquela experiência. Não quero repetir os mesmos erros. Mas também, mostra que nem sempre o que achamos ser certo, é o certo. Bom senso é essencial, e naquela altura do campeonato, eu não devia ter nenhum.

E então, voltando à falar da felicidade. A quarta reação depois de ver as fotos foi: “Como eu amo o meu marido e sou feliz no meu casamento!” Um daqueles momentos em que a ficha cai e você se dá conta que tem uma família praticamente perfeita. Pois é, tenho um marido encantador, que me ama magra, gorda, com ou sem tpm, nas alegrias e nas tristezas, na saúde e na doença. E o resultado é a nossa filha linda, feita com todo esse amor.

Eu ainda quero a casa….mas depois disso, o que eu fiz foi acordá-lo só pra dizer o quanto o amo. Vez ou outra, dar-se conta dessas coisas, é uma felicidade só.

11 comentários:

Cheers! Fla disse...

Eh tao bom se sentir assim neh? Feliz, sendo amada e amando tbem.

bjs

Aline Godoy disse...

Oi Querida!

Adorei seu post, viu? Olha, a cada dia como amadurecemos. Há dias em que as nuvens estão mais escuras e fica aquele dia meio sem graça... outros o sol brilha c/ tanta intensidade que esquenta até a alma. Creio que os sentimentos, quaisquer que sejam, foram feitos, de verdade, para serem sentidos. Alguns optam por amargurá-los e conviver c/ sentimentos pequenos, outros aprendem a sacudir a poeira e seguir em frente tomando td como uma grande lição e experiência.

C/ certeza, eu e vc, podemos dizer que esse ano passamos por provas bastante difíceis e outras mais virão, mas me diga: vc não se sente fortalecida? eu me sinto e MUITO pq sei que Deus está ao meu lado e sempre esteve, eu é que muitas vezes duvidei disso, e como estava errada!

Bom amiga, a felicidade pode não estar td o tempo por aí, mas somos nós quem decidimos mantê-la ou não em nossas vidas, no cotidiano, mesmo à frente das dificuldades. Basta parar e olhar, ela está ali, junto c/ Deus. Quer mais? depois de td o que passamos acabo de receber uma boa notícia: minha prima-irmã acabou de dar a Luz à uma menina linda, a Isabela.

Bom, fiquem c/ Deus e continue assim como vc é, sempre linda, de bom coração e grata por td o q Deus te deu e continua a dar!

PS.: Bequinha tá a coisa MAIS linda! que bonequinha fofa!!!!
Saudade...

Bia Mendonça disse...

Gostei mto desse post! Acho legal quando somos capazes de avaliar experiencias q tivemos e aprender com elas!

bjos

Angela disse...

oieeee

tudo bom???

8-)

Sabe que eu também acho que a felicidade está dentro de nós?
Cabe a gente mesma "abrir os olhos" , ver, perceber, e valorizar tudo isso ... e viver dentro da realidade, senaoooooo....já viu..

nossa, vc casou novinha, né? mas como vc escreveu, tudo é experiência de vida .
Como aprender, se nao viver? né?
Tudo passa, a gente vive, amadurece, e depois vai vivendo melhor (bom, isso eu falo por mim mesma) .

quanto aos "EX" da vida...rs.. também já pensei como vc.
Eu hein ? ainda bem que tudo é passado...e o que importa é o hj!
e que eu to bemmmmmmm melhor que os ex..hahhahah
8-)

Beijo querida!
tudo di bom
boa quinta-sexta e fim de semana!!!


angel

Elaine disse...

Cyn, a gente as vezes take things and people for granted (acho q eh assim q escreve, nao sei explicar o sentido exato em portugues). Mas eh mais ou menos isso q voce falou no post, as vezes a gente tem q ver algo p acordar e perceber que temos as melhores coisas e pessoas que pedimos a Deus. Acredito que a felicidade nao eh algo complexo, ou um destino, nao acredito q para sermos felizes temos que ter realizado todos os nossos sonhos. Pelo contrario, a felicidade esta no processo de realizacao dos sonhos um por um, cada um no seu devido tempo. Voce conheceu o amor da sua vida, teve sua princesa...tem o amor um do outro, agora estao trabalhando p realizar outros sonhos... aos poucos. E se um dia nao realizarmos certos planos nao significa q nao tenhamos sido ou nao seremos felizes. Adorei esse post!

Beijos Cyn

Lucia Cintra Stevenson disse...

Engracado voce falar sobre o seu ex. Digo isso, pois quando morava no Brasil, namorei um menino por um tempao. Eramos bem jovens, mas aquele tipo de amor que te cega e voce nao ve que realmente nao e' feito um pro outro.

Acho que o que me salvou foi meu pai ter sido transferido pros USA. Isso nos separou e por mais que continuamos o namoro em distancia por mais uns 2 ou 3 anos, serviu pra abrir meus olhos e ver que nao tinhamos absolutamente nada em comum.

Se tivesse continuado no Brasil, acho que provavelmente teriamos nos casado, e eu completamente infeliz, ja teria me divorciado.

Hoje eu vejo as coisas mais claramente. E com certos acontecimentos na minha vida, aprendi a apreciar as pequenas coisas que tenho e como sao preciosas! Nao so as pessoas na minha vida, mas tudo que tenho no momento e todas as outras oportunidades aqui tb ao meu redor.

bjos

brito_alexandre disse...

Belissimo texto!!!!
É isto aí, valorize o que tem... pois a felicidade está nisto.
Bjs
Tio Dão

Taty simplesmente disse...

É amiga...algumas fases do meu passado são de rir...mas servem p darmos mais valor p o presente......o importante é estar feliz...amo vcs...saudades

Anônimo disse...

Com certeza amiga tudo vale pra aprendizado! Saudades.. nao sei se falei , mas recebi seu postcard.. o M. adorou a foto do deer, ele falou foi pra mim, hehehe
bjs..Pry

Cristiane disse...

Achei seu post lindo! E como é verdade tudinho o que você disse! Já tive um namoro bem sério, e hoje fico pensando como eu seria infeliz se tivesse casado com ele. A vida vai passando e nós vamos amadurecendo junto. Depois de tudo isso, você merece a felicidade que você tem. Fico feliz em saber que você é uma mulher forte e que sabe dizer não, pois muitas outras continuam em seus relacionamentos destrutivos, mesmo sabendo que não irão dar certo nunca, apenas por medo de recomeçar sozinha e do que as outras pessoas irão pensar.
Beijos
Cris

jordan shoes disse...

cool blog